Glossário
  • Custo Fixo Custo de uma empresa que não varia proporcionalmente com o volume de produção. Por exemplo, são custos fixos, as rendas, uma avença, os ordenados do pessoal efectivo, etc.

  • Custo variável Custo de uma empresa que varia em função do seu volume de actividade. São, por exemplo, os custos das matérias primas adquiridas, de energia eléctrica, etc.

  • Curva de rendimento (yield curve) Gráfico que representa "curva" da rendibilidade (dada pelas taxas de juro) de um determinado investimento, ao longo do tempo, desde o início da aplicação até à sua maturidade.

  • Custo Os custos são as despesas que a empresa tem de suportar para o exercício da sua actividade tais como os custos com o pessoal, electricidade, rendas, seguros, impostos, as compras, etc. Estes, podem ser fixos ou variáveis.

  • Custo de Capital Taxa de rendibilidade que se obteria num investimento alternativo de risco equivalente. Pode ser calculado através da média ponderada dos custos da dívida (passivo) e dos capitais próprios.

  • Curto prazo O conceito de curto prazo é atribuído, na generalidade, a um prazo até 1 ano.

  • Cupão Título representativo do direito que um determinado investidor tem a receber juros de obrigações. Existe um cupão para cada vencimento de juros que será entregue na data de vencimento, em troca do respectivo juro.

  • Curto (short) Termo que se utiliza quando alguém vende um título a descoberto, ou seja, que não possuía na sua carteira, ficando com uma posição curta. Este tipo de transacções tem regulamento próprio nas bolsas de valores, permitindo a especulação quando as expectativas são de descida das cotações dos títulos. Posteriormente, o vendedor terá obrigatoriamente de comprar o título vendido procurando fazê-lo a um preço mais baixo para o devolver a quem lhe o emprestou e que lhe permitiu efectuar a venda inicial (a "descoberto"). A estas operações de bolsa, que possibilitam ganhar dinheiro com os mercados em queda, também se dá o nome de "short.selling".

  • Covered Warrant Warrant sobre acções, emitido por um Banco, com base nos títulos em circulação de uma empresa. Os Warrants clássicos sobre acções são emitidos pela própria empresa e atribuem ao seu titular o direito de subscrever acções que serão emitidas no futuro. Normalmente, este tipo de warrants surgem no mercado indexados a uma obrigação.

  • Crash Queda precipitada nas cotações, resultante de quebras na actividade económica e/ou na confiança dos investidores, após períodos de elevadas subidas nas mesmas. O crash de 1929 e a "segunda-feira negra" de 1987 nos EUA são exemplos deste tipo de fenómeno.

  • Cotação ajustada Preço de um valor mobiliário formado no mercado bolsista, expurgado das variações resultantes de aumentos de capital, distribuição de dividendos, alterações do valor nominal e agregações. Só as séries de cotações ajustadas permitem analisar a evolução das cotações das acções de uma empresa ao longo do tempo.

  • Cotação de fecho (close) Para cada valor mobiliário, é o preço a que se efectuou a última transacção numa determinada sessão de Bolsa.

  • Corretor Indivíduo ou entidade que compra ou vende títulos por conta de outrem, cobrando uma comissão por esse serviço. Possui clientes particulares e institucionais.

  • Cost to Income Indicador que mede a parte da riqueza gerada que é absorvida pelos custos de funcionamento, traduzindo a relevância dos custos no produto.

  • Cotação Preço de um valor mobiliário formado no mercado bolsista pela interacção da oferta e da procura. A cotação de um título corresponde ao valor em que procura e a oferta se encontram, em cada momento, dando origem a transacções.

  • Core business Negócio central de uma determinada empresa, que constitui a sua actividade principal e no qual deve concentrar todos os seus esforços. Todas as outras tarefas de âmbito secundário devem ser delegadas a terceiros, nomeadamente através do recurso ao "outsourcing".

  • Correcção Reacção do mercado a um determinado preço/cotação, resultando esta situação normalmente numa correcção ou ajuste.

  • Corretagem (de bolsa) É a comissão cobrada pelo intermediário financeiro (corretor), aos seus clientes, pelas transacções (compras e vendas) que estes efectuam no mercado da bolsa, por seu intermédio. Normalmente, essa comissão é função do montante da transacção, sendo uma percentagem do volume do negócio realizado.

  • Conversão de passivos Substituição de um passivo existente pela emissão de uma nova dívida.

  • Contrato de futuros Contrato padronizado, reversível, de compra e venda de uma dada quantidade e qualidade de um bem, ou de um serviço, num local e numa data futura específica, a um preço fixado no presente.