Glossário
  • Risco operacional (ou do negócio) Risco que os accionistas de uma empresa enfrentam mesmo quando a empresa é totalmente financiada com capitais próprios. É o risco associado à gestão da exploração da empresa, por contraposição ao risco financeiro.

  • Roll Over - Extensão de um contrato de futuros para além da sua data de vencimento original. Representa, na prática, a troca de um contrato que está no seu vencimento, pelo contrato com vencimento seguinte.

  • Risco de incumprimento (default risk) Possibilidade do emitente de determinada dívida não ter a capacidade financeira necessária para pagar juros e/ou capital em dívida na data e no montante prometido.

  • Risco específico (diversificável ou não-sistemático) Parcela da variabilidade total do rendimento de um activo financeiro devida a factores específicos de uma empresa ou sector (e cujo impacto pode ser eliminado ou atenuado através de uma adequada diversificação). Este tipo de risco está associado a factos como alterações ou problemas ao nível da gestão da empresa, greves ou modificações nos padrões de consumo relativos aos produtos da empresa.

  • Risco financeiro O risco que os accionistas de uma empresa enfrentam devido ao facto de a sua empresa não ser financiada exclusivamente por capitais próprios.

  • Risco Traduz a possibilidade de um investimento não apresente os resultados (mínimos) previstos.

  • Risco cambial - Grau de incerteza num portfolio de activos financeiros ou no valor de uma empresa em resultado da incerteza na evolução das taxas de câmbio.

  • Risco de crédito Possibilidade do beneficiário de determinado empréstimo não ter capacidade financeira para pagar os juros e/ou o capital em dívida.



  • Resultados financeiros Resultados que decorrem das aplicações de natureza financeira da empresa e dos seus custos de financiamento (funding). Do lado dos proveitos, os mais importantes são os rendimentos das participações de capital, dos títulos negociáveis e outros juros e proveitos similares. Da parte dos custos, temos as amortizações e provisões de aplicações e investimentos financeiros e os juros e encargos resultantes da obtenção de capitais alheios.

  • Resultados operacionais É a diferença entre os lucros e os prejuízos relativos à actividade principal da empresa. Do lado das receitas, os mais relevantes são as vendas e prestações de serviços e outros proveitos operacionais. Do lado das despesas, destacam-se os custos das vendas e prestações de serviços, os custos de distribuição e administrativos e, ainda, as amortizações e provisões relativas aos bens afectos à actividade normal da instituição.

  • Responsabilidade limitada Limitação dos prejuízos dos accionistas aos montantes efectivamente investidos na empresa.

  • Resultado líquido Denominação utilizada para designar os lucros ou os prejuízos (caso seja negativo) de uma empresa, num determinado período de tempo, geralmente o exercício económico que, em regra, coincide com o ano civil. O resultado líquido corresponde ao lucro obtido pela empresa já após a dedução dos impostos que sobre ele incidem.



  • Resultados extraordinários Como o seu nome indica, têm origem fora da actividade normal da sociedade, ocorrendo com uma certa imprevisibilidade. São, por exemplo, as mais-valias e as menos-valias obtidas na alienação de imobilizações, os ganhos ou perdas em diferenças de câmbio, as dívidas incobráveis, alienações de participações, etc.

  • Relatório e Contas Reporte anual de uma empresa, constituído essencialmente por duas partes: por um lado, um texto descritivo da actividade da empresa e do contexto em que a mesma foi desenvolvida; por outro, as contas da empresa, desenvolvidas em mapas específicos, designadamente o Balanço, a Demonstração de Resultados líquidos e a Demonstração dos fluxos de caixa.

  • Reservas Fazem parte dos capitais próprios da empresa e, tal como o seu nome indica, são reservas que a instituição possui. Quanto à sua origem, podem ser reservas de lucros, constituídas com base nos resultados gerados pela sociedade que não distribuídos aos seus sócios ou accionistas. Podem também ser reservas de capital, que resultam normalmente de doações e/ou subsídios ou de prémios de emissão de acções ou quotas, emitidos acima do par. Finalmente, temos as reservas de reavaliação que derivam da rectificação ou actualização dos valores do activo imobilizado da empresa, cuja reavaliação faz crescer o valor dos capitais próprios. As reservas podem, ainda, ser obrigatórias quando são constituídas por força legal, ser estatutárias ou contratuais, ou ser facultativas.

  • Reservas cambiais Meios de pagamento disponíveis por parte das autoridades monetárias de um país para saldar os défices das suas balanças de pagamentos para com outros países estrangeiros.

  • Red chips Títulos de reduzida liquidez e/ou capitalização bolsista.

  • Rating Classificação de uma empresa ou instituição de acordo com o risco. A avaliação pode incidir genericamente sobre a empresa/instituição, tendo em conta a sua situação económico-financeira e perspectivas de lucros, ou, especificamente, sobre o seu risco de crédito, considerando a capacidade de cumprimento do serviço das dívidas.

  • Recessão Trata-se de um período de tempo em que se verifica um declínio da actividade económica de um determinado sector ou economia. Verifica-se uma recessão técnica quando há dois trimestres consecutivos de quedas no Produto Interno Bruto (PIB), face ao trimestre anterior.

  • Rácio de liquidez geral É uma medida de liquidez e obtém-se pela divisão do activo circulante de uma empresa pelo passivo circulante da mesma.